• Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019

TJ reduz em mais de onze anos pena de acusado de feminicidio em Picos

José Adriano dos Santos foi condenado a 28 anos de prisão pela morte da ex-companheira Jarnicleide de Holanda Leal, em Picos

Assassino tem a pena reduzida pela justiça em onze anos e seis meses / Reprodução

Matéria originalmente publicada pelo G1

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) reduziu a pena de José Adriano dos Santos, condenado pela prática de feminicidio. Ele assassinou a ex-companheira Jarnicleide de Holanda Leal com um tiro na cabeça. O crime aconteceu em maio de 2017, em Picos.

De acordo com a decisão divulgada nessa sexta-feira (31), a 2ª Câmara Especializada Criminal considerou que devido ao réu ter confessado o crime a pena deveria ser reduzida de 28 anos para 16 anos e seis meses de reclusão. O condenado cumpre pena na Penitenciária Regional “José de Deus Barros”, em Picos

“Deve proceder ao ajuste da pena-base quando constatado excesso na sua fixação. Mesmo sendo qualificada a confissão deve ser reconhecida na sentença, compensação realizada entre a agravante do meio cruel com a atenuante da confissão espontânea, vez que ambas são preponderantes na forma do artigo 67 do Código Penal”, diz a decisão.

O crime aconteceu em maio de 2017, quando Jarnicleide de Holanda Leal, 25 anos, foi assassinada com um disparo de arma de fogo e o autor fugiu em seguida. Segundo a denúncia do Ministério Público, a vítima não morava mais em Picos e estava na cidade a passeio, mas o ex-companheiro não aceitava a separação.

Jarnicleide, de 25 anos, foi assassinada pelo ex-companheiro/Foto: Reprodução.
 

Dois dias depois do crime, fora do período do flagrante de delito, o ex-companheiro da vítima compareceu à delegacia de Polícia Civil da cidade com um advogado, mas foi preso devido a um mandado de prisão que já havia sido expedido contra ele. José Adriano foi condenado a 28 anos de prisão por homicídio quadruplamente qualificado em março de 2018.

Com a apelação da defesa a pena foi reduzida em onze anos e seis meses já que a confissão espontânea é possibilita a diminuição de pena.

 “Acordam os componentes da 2ª Câmara Especializada Criminal, por votação unânime, pelo conhecimento e parcial provimento do recurso para redimensionar a pena do recorrente para 16 anos e 6 meses de reclusão em regime inicial fechado”, determinou o relator, desembargador Joaquim Santana Filho.
 

Compartilhe:

Comentar

1 Comentário

  1. Nega Mazé

    Lamentável essa diminuição de pena , na lei há sempre uma brecha para beneficiar os agressores , enquanto uma MENINA DE VINTE ANOS , FOI ASSASSINADA COMO SE MATA UMA GALINHA . DISCURSO: A LEI EXISTE PRA PUNIR OS AGRESSORES E ACABAR COM A PRÁTICA DE FEMINICÍDIO. ACREDITO...

Veja Também