• Quinta-Feira, 12 de Dezembro de 2019

Moradores atingidos pelo Lixão do Valparaíso protestam em frente ao Ministério Público

Os moradores das comunidades atingidas cobram a imediata retirada do Lixão do Valparaíso instalado há mais de seis anos

Moradores promovem manifestação em frente ao Ministério Público em Picos / Foto: José Maria Barros

Por José Maria Barros

Moradores de várias comunidades atingidas pelo Lixão do Valparaiso promoveram na manhã desta quarta-feira, 7, uma manifestação de protesto em frente ao Ministério Público Estadual. Paralelamente ao ato, aconteceu uma audiência com representantes da Igreja, da população e o promotor de justiça, Maurício Gomes de Souza.

Moradores protestam contra permanência do Lixão em Valparaíso/Foto: José Maria Barros.
 

Transferido do bairro Altamira para o povoado Valparaíso em maio de 2013, o lixão tem causado transtornos aos moradores de várias comunidades. A situação piorou na madrugada do domingo 28 de julho, quando um incêndio atingiu o local, provocando uma fumaça densa e tóxica que até hoje não foi contida por completo.
    
Usando máscaras em sinal de protesto contra a manutenção do Lixão no Valparaíso, os moradores permaneceram em frente ao Ministério Público até o final da audiência que tratou sobre o problema.

Moradores usam máscara durante protesto/Foto: José Maria Barros.
 

Para maior visibilidade do protesto contra a permanência do lixão em Valparaíso, os moradores de várias comunidades afixaram faixas em frente ao prédio do Ministério Público, localizado na avenida Senador Helvídio Nunes de Barros, bairro Catavento.
    
No teor das faixas toda a indignação da comunidade para com o prefeito de Picos, Padre José Walmir de Lima (PT), acusado pelo morador Francisco de Araújo Filho, o Neto Araújo, de ter virado às costas para a comunidade.

Lídr comunitário Neto Araújo acusa o Padre Walmir de virar as costas para comunidade/Foto: José Maria Barros.
 

“Atenção! Foi o primeiro aterro sanitário no Brasil a pegar fogo, queimando toneladas e toneladas de lixo a céu aberto em Picos”. ‘Prefeito! Não foi o lixão que você nos prometeu em palanque pra nossas comunidades” e “As comunidades de Valparaíso, Morrinho, Bugi e outras querem ser ouvidas pelo poder público e judiciário, sobre a temática do lixão de Picos”, são alguns exemplos das frases escritas nas faixas expostas na manifestação.

Faixas de protesto contra a presença do lixão em Valparaíso/Foto: José Maria Barros.
 

Retirada do Lixão

Sentindo-se prejudicadas, as pessoas presentes à manifestação defendem a imediata retirada do Lixão do Valparaíso, pois, não acreditam mais nas promessas da administração em transformar o local em um aterro sanitário. Para tanto, os moradores das comunidades atingidas garantiram que continuarão mobilizados até que o problema seja resolvido.

Faixa de protesto/Foto: José Maria Barros.
 
Protesto de moradores/Foto: José Maria Barros.
 
Faixa com frase crítica ao prefeito Padre Walmir/Foto: José Maria Barros.
 
Moradores usam máscara em sinal de protesto contra o lixão/Foto: José Maria Barros.
 
Moradores aguardam final da audiência/Foto: José Maria Barros.
 
Moradores querem ser ouvidos sobre o problema do lixão/Foto: José Maria Barros.
 
Moradores cobram retirada do lixão/Foto: José Maria Barros.
 
Manifestação atraiu expressivo número de moradores/Foto: José Maria Barros.


 

Compartilhe:

Comentar

0 Comentários

  1. Nenhum comentário registrado para esta matéria. Seja o primeiro!

Veja Também